8 de fevereiro de 2007

Bem-Aventuranças I

O Evangelho do próximo Domingo fala-nos sobre as bem-aventuranças. Lucas apresenta Jesus falando aos seus discípulos e para uma grande multidão, numa planície.
Interessante notar que Lucas diz que Jesus está numa planície, enquanto Mateus, em seu Evangelho, capítulo 5, versículos de 1 à 12, apresenta Jesus proclamando as bem-aventuranças do alto de uma colina.
Para melhor entender a diferença entre as Bem Aventuranças de Mateus e de Lucas, será necessário conhecer, um pouco melhor, para que comunidades falavam os Evangelistas.

A Comunidade de Mateus
Parece composta sobretudo de cristãos provenientes do judaísmo. Eles conhecem bem as Escrituras: são mais de 130 as passagens em que Mateus se refere ao Antigo Testamento. A Lei continua a ser para eles regra de vida: “Não vim para revogar A Lei, mas completá-la” (Mt.5,17).

A comunidade de Lucas
Não sabemos ao certo para que comunidade concreta escreveu Lucas, mas podemos facilmente imaginar o tipo de Igreja onde a sua mensagem se formou: comunidades nascidas em território pagão, como as de Antioquia e Filipos. Estes cristãos são antigos pagãos, sabem que é por graça e não por nascimento que são recebidos na aliança de Deus com Israel. Eles fizeram a experiência do Espírito Santo; as suas igrejas nasceram fora do círculo de Jerusalém. Sabem que a fé em Jesus Cristo os fez entrar numa tradição: a dos apóstolos, mas sabem também que nela vivem na liberdade do Espírito.
Diferentemente das comunidades de Mateus, as de Lucas vivem com naturalidade o universalismo.

1 comentário:

Pe. Vítor Magalhães disse...

Grandes palavras chave de Jesus Cristo. Grande norma à felicidade!

Enviar um comentário