22 de julho de 2008

As práticas caracteristicas do Jubileu I


O ser humano usa símbolos, procura sinais, faz gestos, para dar sentido àquilo que não pode explicar por palavras, que não pode tocar ou que não pode ver. Quando queremos transmitir uma experiência interior, servimo-nos da linguagem simbólica. O homem não pode viver sem símbolos. Também na celebração do Ano Jubilar há sinais e símbolos que nos ajudam a ter presentes a reconciliação, o perdão e a partilha, imperativos deste ano de misericórdia. Entre esses sinais destacam-se:

*a Porta Santa
*a Peregrinação
*a Indulgência


*Porta Santa

A Porta Santa evoca a passagem do pecado à graça, que cada cristão é chamado a realizar, Jesus disse: «Eu sou a porta»(Jo.10,7), para nos dizer que ninguém chega ao Pai senão por Ele. Jesus é a Porta pela qual o Pai veio Ter com os homens para que os homens passem por Ele para se encontrarem com o Pai. A necessidade e a urgência de “passarmos” permanentemente do que vamos sendo, àquilo que o Senhor quer e espera de nós.
«Portas Santas» são as basílicas patriarcais romanas: São Pedro, São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo.
As portas das catedrais e as igrejas, não sendo «santas» no sentido das tradições, são-no, simbolicamente para aqueles que as atravessam: sendo portas vulgares dão para a «Porta» verdadeira que é Jesus Cristo.

No Jubileu do ano 2000, a Porta Santa na Basílica de S. Pedro em Roma, foi aberta na noite de Natal de 1999. À hora em que os cristãos recordavam o nascimento histórico de Jesus em Belém da Judeia, o Papa João Paulo II, à frente de todos, «passou» a porta santa. Ao atravessar a porta, mostrou à Igreja e ao Mundo o Santo Evangelho, fonte de vida e de esperança para o 3º milénio.

Também como em todo o Ano Jubilar, há neste Ano Paulino sinais e símbolos que atestam a fé e favorecem a devoção dos fiéis. O Papa Bento XVI, no dia 28 de Junho de 2008, abriu uma “Porta Paulina” (simétrica à Porta Santa) na Basílica papal de S. Paulo na Via Ostiense, dando assim início às peregrinações a locais escolhidos (12 em Roma) e foi acesa a "Chama Paulina" que arderá ao longo de todo o ano.

1 comentário:

Fa menor disse...

Sempre muito enriquecedor ler-te!
Beijinhos

Enviar um comentário